Internautas reclamam de ausência de Dailton e apontam desorganização no Carnaval de Madre de Deus

Internautas fizeram vídeos mostrando a desorganização do Carnaval de Madre de Deus.

No primeiro dia, um vídeo registrou os banheiros químicos chegando durante a festa.
Veículos estacionados no trajeto também chamaram a atenção. (Veja o vídeo)

Imagens também mostram o momento em que o trio segue sem foliões acompanhando.(Veja o vídeo)
A ausência do secretário de segurança cidadã, Sandro Matos, também foi sinalizada.

Nos bastidores, Sandro é apontando como “prefeito em exercício”, enquanto Deilton Filho recebe o apelido de “fantoche”.

O vereador Marden Lessa (PSB) fez diversas publicações reclamando da ausência do prefeito na cidade. O parlamentar também disse que por volta de 1h30 um bloco aguardava a presença da polícia militar no trajeto da festa.

Segundo ele, o prefeito Dailto seria responsabilizado caso ocorresse uma morte no percurso.
O vereador reclamou que não havia secretários operacionais.

“Pior que não é mais só o prefeito viu irmão, é o prefeito e o secretário, dois criminosos colocando a vida da população em risco”, disse.

Marden destaca que os foliões correm risco sem a presença da polícia na festa. Ele relata que o prefeito Dailton deve estar no camarote da Band em Salvador mais uma vez.

“Não é possível um negócio desse não, os caras estão brincando com a vida da população, tem parentes nossos aqui, inclusive, tem parentes dele também. Imagina só se acontece o pior, olha a quantidade de gente que tem aqui não tem uma patrulha da Polícia Militar”, disse.

Veja os vídeos abaixo:

Siga o Madre sem Média  no Insta, Facebook e Twitter. Quer mandar uma denúncia ou sugestão de pauta, mande WhatsApp para (71) 98750 – 7370. Nos insira nos seus grupos!

Sobre madresemmedia 2407 Artigos
A MADRE SEM MÉDIA é um site de notícias da internet que oferece conteúdo online para todo o estado da Bahia, com foco para os municípios de Madre de Deus (sede). São Francisco do Conde, Candeias, São Sebastião do Passé, Santo Amaro, Simões Filho.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*