Preços disparam em Supermercados de Madre de Deus após isolamento social

Desde que a prefeitura de Madre de Deus determinou o isolamento social, moradores da cidade começaram a reclamar dos preços. Os produtos que têm apresentado elevação de preços são itens básicos, como feijão, leite, açúcar, óleo de soja e arroz. Os reajustes chegam a 80%.

Antes dos decretos, morador da cidade comprava o feijão um dos principais itens da cesta básica por R$ 4, 29. Atualmente o produto pode ser encontrado no município com preços que variam entre R$ 5,79 e R$ 10,29.

O Madre Sem Média fez uma pesquisa em três supermercados da cidade: Rede Fort, Mais Supermercados e Mercado Central. Apesar da publicidade do Fort, diversos produtos estão com preços mais altos do que em outros estabelecimentos. O supermercado costuma baixar alguns itens da lista e aumentar em outros.

Assim o consumidor, pensa que comprou com um enorme desconto, mas o valor acaba sendo colocado em outros produtos como farinha de trigo, ovos e leite. Na comparação de preços a reportagem notou que isso acontece com os produtos vendidos no maior supermercado da cidade.

No Mais Supermercados, os preços variam, não grandes promoções, mas o reajuste não foi igual ao concorrente.

No Mercado Central os preços também não subiram tanto, no entanto, para saber o valor de produtos a reportagem teve que perguntar aos funcionários já que os preços de itens básicos estão inelegíveis.

Muitos moradores quando fazem compras escolhem um único supermercado, mas diante do reajuste o consumidor deve comparar preços e comprar em pelo menos três estabelecimentos diferentes da cidade.

O Mercadinho Lopes, têm preços convidativos, porém, em meio a pandemia o espaço ficou pequeno para demanda, isso acaba sendo uma desvantagem. Uma longa fila formada na entrada atrapalha bastante. Além disso, o contato ombro a ombro deixa a situação ainda pior.

Uma equipe da prefeitura está fiscalizando os estabelecimentos da cidade para coibir os preços abusivos de produtos.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*