Hospital de Madre de Deus é alvo de críticas após denúncia de médicos: “Hoje mesmo não tem obstetra”

Os profissionais de saúde que atuam no Hospital de Madre de Deus denunciaram ao Sindicato dos Médicos da Bahia a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), redução do número de médicos, ausência de pagamento durante afastamentos e falta de pagamento.

Em um vídeo, publicado no dia 31 de abril, a presidente do Sindimed-BA, Dra. Ana Rita de Luna afirmou que o Centro de Especialidades Médicas, contava com três plantonistas, hoje com apenas um médico de plantão.

Ela classifica como um “absurdo” um médico afastado por coronavírus ter o salário cortado no Hospital de Madre de Deus.

De acordo com informações de profissionais de saúde, o pediatra e ortopedista só trabalham durante o dia, o plantão noturno foi suspenso. Moradores também reclamam da falta de obstetra em certos dias da semana.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*