Detentos em penitenciária de Roraima estão sendo “comidos vivos” por bactéria misteriosa

Mãos de um dos presos vítima da doença desconhecida (Foto: Blog do Peronnico)

Uma bactéria desconhecida está deixando partes dos copos dos detentos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), em Boa Vista, Roraima, em decomposição.

Segundo informações, até o momento, 24 detentos já foram internados no Hospital Geral de Roraima, a maioria em estado grave, com feridas principalmente nas mãos e pernas. 14 delas apresentaram sintomas de paralisia nas pernas e infecções na pele. A doença pode estar sendo causada pela alta concentração de sarna, sífilis e bicho geográfico na prisão.

Na manhã de sexta-feira (17) representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB Roraima e da Defensoria Pública Estadual estiveram na penitenciária e no hospital e comprovaram a gravidade do caso.
“Alguns não conseguem andar, outros estão com bactérias nos pés que estão corroendo a pele. Apesar de estarem medicados, notamos que o caso é muito sério”, destacou.

De acordo com ele, um relatório será elaborado com base nos resultados colhidos durante a visita à unidade de saúde. O objetivo é solicitar da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) e Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) providências para evitar mortes, bem como a permanência da possível epidemia de doenças no maior presídio do estado.
” Vamos encaminhar também para o Conselho Federal da OAB tomar medidas mais sérias em relação à denúncia. Estamos fazendo o possível e o impossível”, assegurou.

Penitenciária Agrícola Monte Cristo, em Roraima (Arquivo)

GOVERNO
De acordo com informações publicadas no site Roraima Tempo, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) informa que os detentos que se encontram no Pronto Atendimento Airton Rocha já estão em atendimento médico. Informa ainda que houve uma reunião nesta sexta-feira com a Secretaria de Saúde para abertura de um protocolo de atendimento.

Esclarece que de setembro a novembro de 2019 foi realizado um mutirão de Saúde na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, onde todos detentos passaram por atendimentos médicos que abrange consultas com especialistas e clínico geral, com o intuito de detectar problemas de saúde para posterior tratamento.

É importante destacar que os detentos diagnosticados com catapora estão sendo acompanhados por um infectologista. Hoje existem no HGR (Hospital Geral de Roraima) 24 quatro detentos internados passando por tratamento:
04 detentos em tratamento para tuberculose (todos estão em isolamento)
04 detentos em tratamento para problemas psiquiátricos
07 Detentos em tratamento para má circulação (não consegue andar)
01 detento em tratamento para infecção no pé
01 detento em tratamento para infecção nas mãos
01 detento em tratamento contra pneumonia
01 detento em tratamento para diabete e infecção urinária
01 detento em tratamento para infecção estômago e problema no pé
01 detento em tratamento para baço dilatado (não consegue andar)
02 detentos cirurgiados
01 detento em tratamento para uma glândula no rosto
Fonte: Ana Paula Lima

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*