Oposição recua em pedido de afastamento de prefeito de Madre de Deus: “Continuamos na luta”

A bancada de oposição da Câmara Municipal de Madre de Deus havia declarado na segunda-feira (5) que durante a sessão iriam apresentar um pedido de afastamento do prefeito Jeferson Andrade (DEM), justificando que o gestor e outros quatro servidores respondem a um processo que supostamente ocorreu na Câmara em 2011. 

O vereador Kikito Tourinho (PPS) antecipou a informação ao Bahia Manchetes, destacando que o pedido era um “clamor do povo”.

“Peço que a comunidade para que amanhã [terça-feira] se faça presente pra que a gente possa realmente ver quem está do lado do povo. Porque é uma decisão certa, ou tá com o povo ou contra o povo! E o povo quer o afastamento de Jeferson, como está não pode ficar a cidade abandonada faltando tudo”, disse Kikito ao site. 

Na manhã de terça-feira (6), o bloco parlamentar comentou na sessão sem quórum, que iriam  pedir a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os gastos com a Creche Frei Godofredo. 

Eles afirmam que mudaram o discurso após receber orientação jurídica. Em tom conciliatório, um dos vereadores de oposição afirmou no plenário que “simplesmente” iriam apresentar um requerimento solicitando a abertura de uma CPI.

A oposição não mencionou na tribuna porque desistiu do pedido de afastamento. 

Com discurso ponderado, o Kikito pediu desculpas ao público presente e disse que os três vereadores estavam fazendo a parte deles: “Convocamos mais uma vez, vocês pra semana que vem”.  Mas o vereador não comentou sobre o recuo. 

“Continuamos na luta, a batalha é difícil, mas vamos perseverar”, disse o vereador antes de convocar os moradores para participar da próxima sessão. 

A bancada governista obstruiu a sessão, no entanto, o pequeno público presente reclamou tanto da base aliada, quanto da oposição.

“Já acabou foi? Oxente!”, disse um dos trabalhadores desempregados que foi assistir à sessão.  

Outros reclamaram do lado de fora e classificaram a sessão como “perda de tempo”.   

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*