Desempregados protestam em Madre de Deus pela contratação de mão-de-obra local

Sem resposta da empreiteira, um novo protesto está previsto para acontecer nesta quarta-feira (24) a partir das 5h.

Nem mesmo a intensa chuva impediu que um grupo de desempregados protestassem na manhã desta terça-feira (23), em Madre de Deus. Revoltados com a falta de oportunidade no município. Cerca de 100 integrantes do movimento em apoio aos desempregados se reuniram em um dos portões do Parque de Gás Maria Quitéria, conhecido na cidade como “Segás”, para protestar contra uma empreiteira que obteve contrato para uma parada de manutenção com duração prevista para três meses, no sistema de segurança conhecido como flare.

Segundo a Comissão, após algumas reuniões da prefeitura com representantes dos trabalhadores e das empresas, ficou firmado que 70% dos contratados serão da mão de obra local e todas as partes ficam encarregadas de monitorar o cumprimento do acordo. Porém, elas continuam contratando maior parte de trabalhadores que não moram na cidade. As vagas não são enviadas integralmente a associação e as empresas continuam recrutando por outros meios.

“Pedimos  aos gestores públicos  que se comprometeram em fiscalizar,  para que tenham a mesma sede de trabalho que nós que estamos desempregados” disse um dos representantes.

Os desempregados chegaram ao local por volta das 5h. A manifestação aconteceu na portaria da Segás, no bairro da Quitéria velha, mas os trabalhadores da Transpetro não foram impedidos de entrar no local. Apenas os funcionários da empreiteira não puderam trabalhar. Sem resposta da empreiteira, um novo protesto está previsto para acontecer nesta quarta-feira (24) a partir das 5h.

Publicidade

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*