Após desistência de Neto, prefeitos oferecem apoio ao governador

José Ronaldo diz que há muita “espuma” em torno do fenômeno, que também tem recebido apoio “do lado de lá” e “quem vence eleição é voto da população e não prefeito”.

Com a desistência do prefeito ACM Neto (DEM) em disputar o governo, prefeitos filiados a partidos de sua base de apoio estão mudando de lado e oferecendo capital eleitoral ao governador Rui Costa (PT), que concorre à reeleição em outubro. Entre os presidentes de partido ouvidos por A TARDE, a estimativa é a de que os pré-candidatos José Ronaldo (DEM) e João Gualberto (PSDB) percam pelo menos 50% de apoio dos gestores que estão filiados às siglas que, em tese, deveriam apoiar o grupo político do alcaide da capital.

José Ronaldo diz que há muita “espuma” em torno do fenômeno, que também tem recebido apoio “do lado de lá” e “quem vence eleição é voto da população e não prefeito” (leia adiante).

Nas eleições de 2016 o DEM, que tinha nove prefeituras, cresceu para 34. Já o PT, que foi o partido que mais emagreceu na Bahia, de 93, fez somente 39 prefeitos. Agora, com o cenário sem Neto, gestores fazem suas apostas sobre o resultado das urnas.

Um dos casos mais recentes de oferta de apoio ocorreu na noite de segunda-feira, quando os prefeitos Jesuíno Porto, do município de Maiquinique, e Rozálio Souza da Hora, gestor de São Felipe, ambos do DEM, foram recebidos por Rui, levados pelas mãos do presidente da Assembleia Legislativa, Ângelo Coronel (PSD), que pleiteia uma das vagas ao Senado na chapa do governador. Antes disso, outros prefeitos já haviam procurado partidos da base de Rui como o de São Gabriel, Zé Carlos da Cebola, que estava no DEM, migrou para o PR, e o tucano Tiancle, do município de Castro Alves, entre outros.

“Ficarão lá somente os prefeitos das cidades grandes e alguns outros”, aposta Coronel. Além de Salvador, maior colégio eleitoral, com quase 2 milhões de eleitores, o DEM fez Feira de Santana, com José Ronaldo, hoje pré-candidato ao governo, com cerca de 400 mil eleitores, Camaçari, com 158.125 mil, Barreiras, com 94.612 e Alagoinhas, com 94.177 eleitores.

O presidente do PP, vice-governador João Leão, diz que o fenômeno é forte e que 14 prefeitos já procuraram o partido, através dele próprio e de deputados federais. Ele prefere não citar os nomes dos gestores antes de consolidar apoio. Uma reunião deve ocorrer em um mês com Rui para que seja apresentado aos prefeitos. “Eles estão dando apoio e devem migrar para o PP logo após as eleições”.

“Siga o Madre sem Média, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Fale conosco.

Publicidade

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*