Bolsa Família teve 350 mil cadastros fraudados

Segundo relatório da CGU, o governo pagou indevidamente mais de R$ 1 bilhão

Um relatório da Controladoria-geral da União (CGU) apontou uma fraude nos benefícios do programa social Bolsa Família. Segundo o levantamento, quase 350 mil cadastros foram fraudados, o que levou o governo a pagar indevidamente R$ 1,4 bilhão a pessoas que não tinham direito ao benefício.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, o programa beneficiou, em dezembro de 2017, mais de 13 milhões de famílias, que receberam benefícios com valor médio de R$ 179. O valor total transferido pelo governo federal às famílias foi de R$ 2,4 milhões em dezembro.

O levantamento da CGU identificou que haviam famílias com casa própria e carro de luxo cadastradas no programa, além de funcionários públicos. O levantamento foi feito entre 2016 e 2017.

Programa

O Bolsa Família foi criado em 2003 para atender famílias em condições de extrema pobreza. Tem direito ao benefício a família que tem renda de R$ 170 por pessoa. Algumas famílias apontadas na fiscalização da CGU tinham renda de mais de R$ 1.900 por pessoa.

Benefícios cancelados

O ministério do Desenvolvimento Social disse que recebeu agora as informações da CGU e que vai conferir com a checagem que já estava fazendo. O ministério disse, ainda, que está corrigindo falhas e que os cadastros passaram a ser revistos todos mês.

O governo disse que de outubro de 2016 até a semana passada, cancelou 4,7 milhões de pagamentos. Disse também que já começou a cobrar os casos mais absurdos identificados pelo próprio ministério – são três mil e 200 famílias. Com informações são do G1.

“Siga o Madre sem Média, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Fale conosco: 71 9 8750 7370“.


Publicidade

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*