Internauta diz que mesmo de atestado esposa foi demitida pela empresa que administra hospital por mensagem de WhatsApp: “Falta de respeito”

Foto: Madre sem Média

Um internauta disse em seu perfil no Facebook que a esposa que está de atestado médico foi demitida do Hospital de Madre de Deus por mensagem de WhatsApp na segunda-feira (21).
Os detalhes da informação foram compartilhados num perfil do Facebook.

“Demissão via mensagem de WattsApp, no mínimo essa atitude é deselegante, uma falta de respeito com uma profissional que modéstia parte tem bons serviços prestados a nossa comunidade”, diz o internauta na publicação.

Ele afirma que a esposa trabalha na unidade desde a gestão da então prefeita Carmen Gandarela. O homem ressalta que entendi a demissão, mas segundo a CLT nenhum funcionário pode ser demitido estando de atestado médico: “A maldade é tamanha que nem avaliaram isso”. Ele também relata que na tarde do dia 16 de dezembro recebeu um comunicado do RH da prefeitura. O internauta conta que prestava serviço a administração municipal.

Chegando ao setor fui informado que por determinação do atual prefeito (Jailton Santana) que eu estava exonerado, mas como vocês podem ver na foto abaixo, que no mesmo dia, eu solicitei o meu desligamento, ou seja, a notícia do interino era notícia velha”, escreveu o homem em tom jocoso.

No final do texto, o internauta ainda crítica a administração de Jailton, apontando que o que serve de consolo é que a partir do dia 1º de janeiro a população estará livre dessa gestão que classifica ele como “pífia”.

No mesmo dia funcionários do centro de tratamento ao covid-19 paralisaram as atividades por falta de pagamento.

Dias antes, funcionários da barreira protestaram pelo mesmo motivo.

Funcionários que prestam serviço a pacientes com coronavírus disseram ao Madre Sem Média que realizam um novo protesto na manhã desta terça-feira (22).

De acordo com o diário oficial publicado no dia 3 de setembro pelo portal de transparência, a prefeitura celebrou um contrato de mais de 2,4 milhões com a empresa S5 para implantação e
adequação do Centro de Referência para o Tratamento ao COVID-19, para realização de atendimento primário, realização de testes Rápido, sorológico e/ou SWAB) em Madre de Deus.

O montante chegou a ser questionado nas redes sociais e por vereadores na Câmara Municipal. A prefeitura ainda não se posicionou oficialmente sobre o caso.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*