Sem citar nomes, Kikito alfineta Melk e diz que não vai para tribuna falar inverdades

Sem citar nomes, o edil insinuou que existe um suposto acordo entre Melk e Ericson.

O vereador Kikito Tourinho (PPS) alfinetou o Pastor Melk (PPS) durante a sessão desta terça-feira (14), dizendo que ‘não vai para (tribuna) falar inverdades’. Sem citar nomes, ele afirmou que o seu correligionário ‘tem que tomar cuidado’ e que por hora, iria preservar o nome do vereador, logo depois, aumentou o tom do discurso alertando ao colega para não ‘defender o indefensável’.

O parlamentar disse ainda, que se o colega quiser defender o indefensável, que defenda com a verdade: “não venha com mentiras comigo não”.

Ele explica que em sessão ordinária no dia 7 deste mês, Melk teria afirmado que em “São Francisco do Conde não pagava a bolsa universitária”.

Segundo o Kikito, em São Francisco do Conde, o beneficio para estudantes de faculdade particular é de R$ 595, já em instituições públicas o valor é de R$ 416.

“O vereador esteve aqui tentando… Sei lá, o que ele quer fazer com Ericson lá… Os acertos dele: ‘problema seu e dele’. Agora vem pra cá pro púlpito para querer tentar me desmoralizar, dizer que estou perseguindo por perseguir, fazendo populismo. Populismo não pai!”.

As declarações foram feitas após KIkito voltar a criticar o secretário municipal da juventude, Ericson Gomes.

As afirmações de Kikito reacendem os debates internos na sigla. Em outra ocasião, Kikito e Melk protagonizaram uma disputa interna pela 1ª secretária da Câmara Municipal, após um confronto interno, o cargo acabou ficando com Juscelino Silve (PPS), que renunciou em dezembro de 2017.

 

Siga o Madre sem Média, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Fale connosco.

Publicidade

2 Comentários

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*